Bancada do PT responsabiliza governo Temer por incêndio que destruiu Museu Nacional

NOTA BANCADA DO PT NA CÂMARA

A Bancada do PT na Câmara expressa sua tristeza e indignação com o incêndio que destruiu o Museu Nacional na noite de domingo (2), transformando em cinzas um acervo com 20 milhões de peças e documentos. Foram-se com o incêndio coleções de geologia, paleontologia, botânica, zoologia, antropologia biológica, arqueologia e etnologia, fósseis de animais, utensílios indígenas, múmias, incluindo o mais antigo fóssil humano já encontrado nas Américas, o crânio de Luzia.

A tragédia não se limita ao descaso do País com sua história e cultura. O Museu Nacional, instituição de 200 anos e o maior museu de História Natural da América Latina, já passava por problemas orçamentários para garantir sua manutenção e foi simplesmente jogado ao pior dos mundos pelo ilegítimo governo atual, com a Emenda Constitucional 95, que congela os gastos públicos. A maléfica emenda contribuiu decisivamente para a destruição de incomensurável patrimônio cultural, educacional, científico e histórico.

Ainda em abril deste ano, a Bancada do PT solicitou realização de Audiência Pública para discutir exatamente os problemas enfrentados pelo Museu Nacional nos seus 200 anos. Infelizmente, as soluções e encaminhamentos governamentais foram absolutamente incapazes de equacionar o problema; ao contrário, colaboraram para que uma catástrofe como essa não fosse evitada. A crueldade do ajuste fiscal foi decisiva para a destruição do quinto maior museu do mundo.

Toda a comunidade acadêmica e científica tem criticado e denunciado o processo de desinvestimento no campo da educação, da cultura, da ciência e da tecnologia. A UFRJ, tal como as demais instituições de ensino, pesquisa e extensão, trava uma mesma batalha para enfrentar as restrições orçamentárias e o congelamento que são impostos pelo “austericídio” governamental.

Exigimos a apuração dos fatos e denunciamos que a triste página escrita na história do nosso país – e do mundo – é também resultante de uma política perversa e antinacional, que em nome de um ajuste fiscal joga o Brasil nas trevas.

Brasília, 3 de setembro de 2018

Paulo Pimenta (PT-RS), líder do Partido na Câmara dos Deputados

 

Foto: Tania Rego/Agência Brasil