Paixão Côrtes nos Campos da Eternidade

O porte, a fisionomia e o semblante, por si só, já faziam de João Carlos D’Ávila PAIXÃO CÔRTES um símbolo ou a representação típica do que o imaginário popular e a sedimentação histórica cultural na Província de São Pedro, hoje Rio Grande do Sul, veio se constituir no GAÚCHO. PAIXÃO CÔRTES, andarilho, cavaleiro andante, no contato com diferentes expressões do gauchismo no continente latino americano e alhures, burilou-se como criador e criatura, trazendo do esquecimento para nossa fruição e encantamento, relíquias folclóricas na música, dança. Indumentária, cozinha, lendas e causos que nos amalgam como povo e nos fazem orgulhosos dessa identidade. De hoje em diante ele percorre os Campos da Eternidade e coloca em dia conversas antigas com Barbosa Lessa, seu parceiro aqui e lá de campereadas culturais.
O PT/ RS expressa seus pêsames aos familiares e amigos de PAIXÃO CÔRTES e se soma aos que entendem que sua obra no terreno da Cultura o fará sempre PRESENTE entre nós.

Olívio Dutra – Presidente de Honra do PT/RS